Donald Trump: Fale bem, fale mal… Mas fale de mim!

Os Estados Unidos têm um novo presidente. Donald Trump está longe de ser unanimidade e faz por merecer os adjetivos cheios de ismos e fobismos que lhe são conferidos.  Mas o meu papel aqui não é debater política e sim comunicação, certo? A verdade é que a construção de imagem do empresário Trump e sua ascensão meteórica como político pode servir de lição para muitas empresas e marcas. 

Primeiro valor de Trump: ele vende aquilo que o público está apto a comprar. Não coloquemos aqui em debate o teor do discurso, mas sim o quanto ele se aproxima de um entendimento do potencial de aceitação por quem, no final, é o decisor. Personagem ou reflexo de quem ele realmente é, o homem soube trabalhar com primor um dos pilares mais valiosos do marketing. Ele entendeu e analisou seu público-alvo, desenvolveu o produto, organizou internamente sua equipe e então ativou os canais de mídia para chegar ao resultado.

Trocando em miúdos, Trump empreendedor sabe que o pacote mídias sociais, imprensa e influenciadores só se reverte em negócios (ou, no caso das Eleições Norte-americanas, votos)  se produção, marketing & comunicação interna e comercial estiverem funcionando em harmonia. Caso contrário, tudo não passará de um voo de galinha. E aí está implícito o seu segundo valor, a engrenagem está a pleno vapor.

Em terceira, e não menos importante posição, fica a lição de que toda mídia merece ser aproveitada. Seja ela a favor ou contra, ela pode se tornar positiva para os seus objetivos desde que haja equilíbrio, sagacidade e senso de oportunidade. O resto fica a critério de quem realmente tem o poder de decisão – o receptor da mensagem no final, é quem importa.

Ouça nossos podcasts no Spotify

Ir para o Spotify
  • Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos no seu e-mail: